Professores de Eunápolis, no extremo sul da Bahia, entram em greve por tempo indeterminado; categoria cobra reajuste salarial.

366

- Publicidade -

Professores da cidade de Eunápolis, no extremo sul da Bahia, decretaram greve por tempo indeterminado. Eles cobram da prefeitura reajuste salarial e melhorias nas estruturas das escolas do município.

A categoria paralisou as atividades na terça-feira (19) e pelo menos 20 mil alunos estão sem aula. Ao todo, são 1.050 professores em greve, entre efetivos e seletivos, lotados nas 40 escolas do município.

Professores de Eunápolis entram em greve por tempo indeterminado — Foto: Divulgação/APLB

O sindicato que representa os trabalhadores da Educação (APLB) informou que os professores pedem correção de 33,24% nos vencimentos e aumento referente à inflação de 2021.

Segundo a entidade, os problemas estruturais começaram a ser notados antes da pandemia, em 2020, e se agravaram com os temporais que atingiram a cidade em dezembro do ano passado.

“Há unidades com problemas nos banheiros, nos telhados. Alguns muros foram derrubados com a chuva, além de terem problemas com a merenda escolar”, disse Lindaura Rodrigues, representante da APLB de Eunápolis.

A prefeitura informou que tenta negociar com a categoria há algumas semanas e propôs reajuste no piso salarial, cujo valor atual é de R$ 3.845 e passaria para R$ 4.200, para quem tem carga de 40 horas semanais.

Ainda segundo a gestão, a prefeitura tem feito melhorias gradativas nas escolas e tenta contratar novos profissionais, como auxiliares de sala de aula e trabalhadores da área administrativa.

Professores de Eunápolis entram em greve por tempo indeterminado — Foto: Divulgação/APLB

G1 BA