Trio é detido em flagrante enquanto furtava materiais de hospital atingido por incêndio em Salvador

254

- Publicidade -

Três homens foram detidos em flagrante enquanto furtavam materiais no Hospital Salvadorque teve uma das salas atingidas por um incêndio no início de outubro, na Avenida Caetano Moura, em Salvador. A unidade fica no bairro da Federação e funcionou como ponto exclusivo para tratamento da Covid-19, até outubro de 2021.

 

Segundo informações da Polícia Militar, as prisões aconteceram na manhã de segunda-feira (24). Durante a prisão, agentes da 41ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) apreenderam facão, faca, picareta e outras ferramentas usadas no furto.

Trio é detido em flagrante enquanto furtava materiais de hospital atingido por incêndio em Salvador — Foto: Polícia Militar

Os policiais foram acionados pelo Centro Integrado de Informações (Cicom) com a denúncia de que o grupo furtava materiais da unidade. Ao chegar ao local, a Polícia Militar encontrou os portões abertos e flagraram os três suspeitos.

Os detidos foram apresentados à 7ª Delegacia Territorial (DT) e, em seguida, levados à Central de Flagrantes.

Ações de vândalos

 

Hospital atingido por incêndio em Salvador está abandonado há um ano — Foto: Reprodução/TV Bahia

O Hospital Salvador, que teve uma das salas atingidas por um incêndio na noite de 9 de outubro, está abandonado há cerca de um ano.

Documentos de pacientes estão amontoados em uma sala onde funcionava a administração do hospital. O local tem muito lixo espalhado e até fezes humanas são encontradas na unidade, junto com material hospitalar de risco, como seringas e bisturis.

Cadeiras de rodas e extintores também foram abandonados na unidade. Vândalos destruíram portas, janelas e caixas de força de eletricidade. Durante a pandemia, o Hospital Salvador foi administrado pela prefeitura.

Por meio de nota, a gestão informou que a unidade já estava sem funcionar e que, no período de pico da Covid-19, foi requisitada administrativamente pela prefeitura. Essa requisição, no entanto, foi encerrada há um ano.

Hospital atingido por incêndio em Salvador está abandonado há um ano — Foto: Reprodução/TV Bahia

No site do próprio hospital, informa que o local é administrado pela Santa Casa de Misericórdia, que afirmou que não há vínculo com a unidade desde 31 de outubro de 2021.

Os representantes legais do Hospital Salvador informaram que a guarda do Hospital Salvador está com a prefeitura, que “deveria zelar pela integridade física dos bens sob a sua responsabilidade”. Acrescentaram ainda que existem duas ações indenizatórias impetradas contra o Município e uma mandamental para que o órgão encerre a requisição administrativa, seguindo as etapas previstas na legislação de regência.

De acordo com os representantes do hospital, “o Município altera a verdade quando diz à sociedade soteropolitana que o Hospital não estava em funcionamento”, pois eles prestavam serviços para a prefeitura, com contratos vigentes e públicos, planos de saúde e uma parceria com a Maternidade Climério de Oliveira.

Informaram também que adotam medidas administrativas contra os agentes públicos do Município e judiciais contra o Município, pelo descumprimento da decisão proferida pelo juízo da 8ª Vara de Fazenda Pública.

Ação de vândalos

 

Hospital atingido por incêndio em Salvador está abandonado há um ano — Foto: Reprodução/TV Bahia

Moradores relataram que a falta de manutenção e segurança propicia a invasão de vândalos, que depredaram a unidade. Uma mulher, que preferiu não ter identidade divulgada, contou que aparelhos eletrônicos foram levados pelos suspeitos.

“Há aproximadamente dois meses, o hospital começou a ser invadido sorrateiramente por algumas pessoas. A gente não sabe quem são essas pessoas, a gente sabe que elas estavam invadindo o hospital e depredando”.

Hospital atingido por incêndio em Salvador está abandonado há um ano — Foto: Reprodução/TV Bahia

“Eles arrancaram todos os [aparelhos de] ar-condicionado, já levaram os freezers do hospital. Inclusive, toda madrugada a gente escuta muito barulho, porque eles derrubam as portas para levar a parte de alumínio dessas portas”.

Em uma das situações, um carro foi usado para transportar os equipamentos do hospital, ainda segundo a moradora. Os furtos geram insegurança para a comunidade.

“A gente já chegou a ver até carro parado no estacionamento do hospital, esperando as coisas saírem de dentro do hospital, para eles levarem. Eu espero que, com essa situação que aconteceu, que os responsáveis tomem uma providência, porque assim… a gente está vendo que o hospital está à mercê”.

 

“A gente, que mora na redondeza, se sente ameaçado, porque os vândalos estão com a maior cara limpa roubando. A gente fica também com medo de que eles saqueiem as nossas residências.”

G1 BA