Sem carnaval, prefeitura de Salvador envia à Câmara projeto de auxílio para trabalhadores da cultura.

418

- Publicidade -

A prefeitura de Salvador anunciou, nesta quinta-feira (17), o envio para a Câmara de Vereadores do projeto que cria um auxílio financeiro para trabalhadores do setor de cultura e eventos que sofreram impacto econômico provocado pela pandemia de Covid-19.

O prefeito Bruno Reis disse que pretende iniciar o pagamento já na semana que vem, período em que aconteceria o Carnaval de Salvador. Cerca de 7,5 mil trabalhadores devem ser beneficiados com o pagamento de dois salários.

“Com o valor de R$ 2.424, o SOS Cultura II vai atender 7.400 trabalhadores do setor, pessoas que estão quase sem renda, ou totalmente sem renda, e que faziam do Carnaval uma forma de ter uma renda extra. O princípio desta lei é beneficiar artistas de rua, teatro, músicos, artistas plásticos, gente que garantia seu sustento tocando no final de semana, técnicos, iluminadores, produtores, segurança, etc.”, disse o prefeito Bruno Reis.

Esse é o segundo ano em que a prefeitura cria um projeto desse tipo. Em 2021, também por conta da não realização do carnaval, a prefeitura pagou um benefício para trabalhadores do setor. Na ocasião, foi pago cerca de um salário mínimo para 6.243 pessoas.

De acordo com o prefeito, após o pagamento do SOS Cultura em 2021, surgiram mais categorias que trabalhadores vinculados ao setor cultural que solicitaram o benefício.

Segundo dados da gestão municipal, o projeto garantirá R$18 milhões para o setor. O pagamento está previsto para ser iniciado na próxima semana, após votação da matéria pelos vereadores, que tem previsão. para acontecer na terça-feira (22).

“O auxílio é uma forma de ajudar essas pessoas cujas atividades ainda não foram retomadas de forma efetiva. E nós entendemos as consequências e os impactos disso na vida das pessoas, que seguem sem eventos como Carnaval, Réveillon, a festa de Iemanjá e a Lavagem de Itapuã”, disse.

O valor destinado a cada beneficiário será pago em parcela única. Os selecionados devem ser residentes em Salvador, com cadastro efetuado junto aos órgãos municipais vinculados ao setor – Fundação Gregório de Mattos (FGM), Empresa Salvador Turismo (Saltur) e Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult) – até 30 de junho de 2021.

Os cadastros dos trabalhadores serão analisados pela CGM (Controladoria) e pagos através da Secretaria Municipal de Promoção Social, Combate à Pobreza, Esporte e Lazer (Sempre).

Não terão direito ao benefício servidores públicos, todos, aqueles que foram beneficiados pelo Salvador por Todos, quem é beneficiário do INSS ou da Previdência municipal.

De acordo com a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), no ano passado, R$ 1,7 bilhão deixou de circular em Salvador sem o carnaval. O cancelamento atingiu cerca de 60 mil trabalhadores envolvidos com a festa.

Entidades carnavalescas lançaram manifesto por de auxilio

Trabalhadores da cultura lançam manifesto por auxílio financeiro para categoria

Em janeiro, diversas entidades carnavalescas e trabalhadores envolvidos no carnaval de Salvador se reuniram nesta quinta-feira (20) para lançar um manifesto em prol de grupos que atuam na festa. A ação fazia era justamente pela criação de um auxilio emergencial para as pessoas que trabalham no evento.

G1 BA