Pelo terceiro dia seguido, bombeiros e brigadistas combatem incêndio em galpão na região portuária de Salvador.

374

- Publicidade -

Pelo terceiro dia seguido, equipes do Corpo de Bombeiros e brigadistas da Codeba seguem, nesta segunda (18), no trabalho de combate ao incêndio no galpão da Companhia das Docas do Estado da Bahia (Codeba), que pegou fogo na sexta-feira (15).

Após ser o fogo ser controlado, ainda na sexta, o trabalho feito no local é de rescaldo, para impedir que nossos focos surjam, e o incêndio seja retomado.

Os bombeiros usam maquinários como retroescavadeira para apagar possíveis novos focos que possam surgir, além da retirada do material queimado. Por conta disso, ainda é possível ver muita fumaça no local.

“O incêndio está controlado. A quantidade de fumaça acontece porque ainda existe material queimando ali por baixo de todo entulho. Esse é o trabalho de rescaldo. Essa material precisa ser revirado, molhado, até que não sobre nenhuma brasa e nenhum tipo de chamas ali por baixo”, conta o major Antônio Ribeiro Júnior, do Corpo de Bombeiros da Bahia.

Corpo de Bombeiros segue em combate ao incêndio no galpão, em Salvador — Foto: TV Bahia

 

No sábado (16), o chefe do Comando de Atividades Técnicas e Pesquisas do Corpo de Bombeiros da Bahia, Coronel Jorge Sturaro, disse que o galpão da Codeba estava irregular em relação a segurança de combate a incêndios.

Nesta segunda-feira, o major Antônio Ribeiro Júnior ressaltou que como o projeto ainda não havia sido executado, a Codeba não estava em plenas condições de segurança.

O bombeiro destacou ainda que a ausência do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), documento que atesta a segurança do local, e que somente é aprovado após vistoria técnica, não era impedimento para o funcionamento do local, já que isso depende de um alvará municipal.

Corpo de Bombeiros segue em combate ao incêndio no galpão, em Salvador — Foto: TV Bahia

“A Codeba possui um projeto de segurança contra incêndio já aprovado, mas não executado, por isso não estava nas melhores condições de combater esse incêndio. Em relação ao auto de vistoria, ele não é alvará de funcionamento e o AVCB não é necessariamente uma exigência”.

Segundo os bombeiros, o local teve o pedido de liberação da documentação de segurança negado em, pelo menos, três ocasiões. A homologação do projeto ocorreu um dia antes do incêndio no local.

30% da carga armazenada foi consumida pelo fogo

Ao menos 11 viaturas e três navios rebocadores foram usados para controlar as chamas. Ninguém ficou ferido. De acordo com o Corpo de Bombeiros, apesar da intensidade das chamas, apenas 30% do material de celulose armazenado no local foi queimado.

“Esse é um material que queima em profundidade. Fizemos a retirada de mais de 70% dos material que poderia ser queimado, e fizemos um isolamento. A partir de agora, é preciso fazer a remoção do que ficou queimado para dar prosseguimento ao trabalho de rescaldo e só depois extinguir o fogo”, disse o Tenente Coronel dos bombeiros, Ednei Factum.

Incêndio no galpão de área portuária de Salvador é controlado — Foto: Eduardo Oliveira/TV Bahia

Ainda segundo os bombeiros, apenas quatro dos 20 vãos do galpão foram atingidos pelo incêndio.

A Codeba divulgou nota onde diz que logo após o incêndio, foi iniciado o ” Plano de Apoio Mútuo Portuário”.

A Codeba confirmou que não há vítimas e disse que ainda não há informações sobre as causas do incêndio.

Bombeiros combatem incêndio em galpão da CODEBA, em Salvador, com água do mar

G1 BA