Justiça mantém presa mulher investigada por morte da filha de 3 anos; criança foi encontrada com sinais de estupro

390

- Publicidade -

A Justiça manteve detida, por mandado de prisão preventiva, a mãe da criança de três anos que foi encontrada morta e com sinais de estupro, em uma casa na Jaqueira do Carneiro, localidade da Fazenda Grande do Retiro, periferia de Salvador.

A criança foi encontrada na sexta-feira (6), e a mulher foi presa em flagrante por abandono de incapaz. A decisão da Justiça de conversão da prisão foi publicada no domingo (8), pela juíza plantonista Ana Gabriela Trindade.

No documento, foi anexado o depoimento da investigada que relatou ter deixado a criança sob os cuidados de dois adolescentes, no período do Natal, porque precisava trabalhar como vendedora ambulante.

Ao retornar para buscar a filha, na última sexta-feira, ela não encontrou a criança, nem os adolescentes. A mulher então foi informada de que eles estavam apreendidos na Delegacia do Adolescente Infrator desde o dia 26 de dezembro.

A mulher relatou ainda que foi até a casa onde a filha estava, e conseguiu entrar no imóvel com a ajuda de vizinhos. Foi lá que ela encontrou a criança já sem vida. A Polícia Militar foi chamada e a mulher foi levada para a Delegacia de Repressão aos Crimes Contra Criança e o Adolescente (Dercca).

Além da conversão da prisão, a Justiça também suspendeu a guarda dela em relação aos outros filhos menores. Não há detalhes sobre as idades dessas crianças, nem com quem elas ficarão.

A juíza detalhou ainda, no documento, que a prisão preventiva acontece por causa do crime grave, que é de natureza dolosa, e que há a necessidade da “garantia da ordem pública”.

G1 BA