Agentes de saúde de Salvador fazem protesto e pedem aplicação do piso salarial da categoria; grupo faz passeata pelo Centro da cidade.

350

- Publicidade -

Um grupo de agentes de saúde realiza uma manifestação no Centro de Salvador, no final da manhã desta quarta-feira (27) e cobram a aplicação do piso salarial da categoria, além da suspensão do veto para pagamento de gratificações aos trabalhadores.

Os servidores iniciaram uma passeata do Largo do Campo Grande e caminham em direção à sede da prefeitura, na Praça da Sé. De acordo com a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), o ato provoca um longo congestionamento na Avenida Sete de Setembro e reflete um trânsito intenso nas outras avenidas do entorno.

Os trabalhadores dizem que a gestão municipal paga mensalmente o piso na ordem dos R$ 877. Porém, de acordo com a categoria, o mínimo deveria ser de R$ 2.424, que correspondem a dois salários mínimos, de acordo com uma Emenda Constitucional aprovada em maio deste ano.

Além disso, os servidores pedem que as gratificações e vantagens já existentes sejam mantidas juntamente com a aplicação do novo salário base previsto em lei federal.

Os trabalhadores ainda reclamam de uma emenda para manutenção das gratificações adicionais inserida em um Projeto de Lei Complementar aprovada na Câmara, mas vetada pelo prefeito Bruno Reis.

A Secretaria Municipal de Gestão (Semge) diz que a prefeitura de Salvador apresentou no início deste mês a proposta de aumento salarial para a categoria dos agentes comunitários de saúde (ACS) e agentes de combate às endemias (ACE) do município.

A prefeitura diz ainda que em cumprimento à emenda constitucional referente à categoria mas assegurando o respeito à lei de responsabilidade fiscal, a remuneração total proposta é de R$ 3.358,60, mais Auxílio Alimentação e Auxílio Transporte. Segundo a gestão, o aumento é de aproximadamente 72%, em comparação com os valores atuais.

G1 BA